segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Deve ser este meu ar de galã de trazer por casa


Anuncio, urbi et orbi, que vou participar num projecto de voluntariado relacionado com a terceira idade. Tenho meio mundo a dizer que as velhinhas me vão amar. Continuo sem saber porquê (e tenho medo de saber a resposta).



domingo, 14 de Setembro de 2014

As coisas são como são e gostos não se discutem


mas em vez de apostarem em workshops de dança do varão, experimentem antes workshops de dança da cadeira e depois contem como foi. Os resultados, claro.

domingo, 7 de Setembro de 2014

Portugal a Dançar - 3ªedição


Raramente me pedem para fazer publicidade aqui no blog e ainda mais raro eu fazê-lo, a menos que se trate de alguma causa solidária. Esta toca-me particular-me por uma razão muito simples. Por incrível que pareça, as coincidências existem. No início de 2003, também eu tive uma miopericardite - uma inflamação do miocárdio e do pericárdio, no meu caso provocada pelo vírus da gripe - que significou um internamento de 11 dias no hospital e quase três meses fechado em casa, em repouso total. Felizmente, a recuperação foi total, sem qualquer sequela, até ao momento. Mas podia não ter sido.

Por isso, não hesito em divulgar a terceira edição do Portugal a Dançar, organizado pela Dê mais Coração - Movimento Daniela, bem como todas as informações que precisam para participar e, com isso, contribuir para esta causa.

“Um país a dançar para o coração não parar” é o slogan do evento cujo principal objectivo é promover a dança enquanto actividade de exercício físico para proporcionar saúde e bem-estar.

À semelhança da primeira edição, no dia 27 de Setembro, escolas de dança e ginásios de várias cidades portuguesas vão promover workshops de várias modalidades, tais como:

Lindy Hop, Hip Hop, Danças Orientais, Dança Criativa, Barra de Chão, Hot Legs, Lyrical, Jazz, Pole Dance, Kizoma ou Dança moderna.

O valor do bilhete para um workshop é de 7€ e o valor do FreePass é 10€. Os bilhetes estão disponíveis nas escolas aderentes, em demaiscoracao.com e em ticketline.pt. Para consultar as escolas aderentes, basta aceder ao site da associação.

No final do evento, o montante angariado com a venda dos bilhetes será doado à associação Dê Mais Coração – Movimento Daniela, para ajudar as crianças com doenças cardíacas em Moçambique.

Sobre a Dê Mais Coração – Movimento Daniela

A "Associação Dê Mais Coração - Movimento Daniela" é uma organização sem fins lucrativos que tem como missão ajudar o ICOR - INSTITUTO DO CORAÇÃO em Moçambique a salvar vidas de crianças com doenças cardíacas, MANTER VIVA a memória da DANIELA e fazer o bem através desta memória.

O movimento surgiu após o falecimento da Daniela, aos 24 anos, vítima de uma miopericardite (vírus alojado no miocárdio que lhe deixou graves sequelas e que lhe deixavam arritmias que orquestravam o seu dia-a-dia). Após a sua curta vida, onde sempre foi exemplar e muito querida por todos, “a Daniela deixou-nos de forma intensa como viveu, a dançar...”.

Aqui  pode ser consultada mais informação sobre o evento e aqui tem a lista de escolas que irá participar no evento.Aqui pode ser visto o vídeo de apoio do Cifrão ao Portugal a Dançar.

segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Quando em Setembro se guarda o bikini na gaveta do armário

Nova Iorque, 1925

É curioso como a solidão impele as pessoas para fora da sua zona de conforto. Pelo contrário, as que se encontram de pé e cal, absorvidas pela estabilidade de uma relação, nada fazem para se superarem e darem um pouco mais de si. No entanto, provavelmente são estas que mais precisam de o fazer. Porque, tal como nas dietas, o mais difícil não é perder peso. É mantê-lo. Porque fazer, ter, conseguir, toda a gente o pode fazer. Agora manter...

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

A rapariga tatuada


Gosto de tatuagens, gosto de ver corpos tatuados, coloridos, histórias inscritas na nossa pele, gosto de memórias sempre presentes. Gosto traços old school, andorinhas que me lembram a fidelidade de quem regressa ano após ano; das âncoras que nos prendem ao chão como raízes; de cerejeiras que florescem em braços-troncos.
Mas a rapariga  apenas tinha dois efes tatuados a preto nas costas, como se fosse um violino ou um violoncelo, à espera de quem a tocasse, de quem fizesse soar música. Naquele instante, em que suas costas se afastavam, tudo o mais era silêncio.

segunda-feira, 11 de Agosto de 2014

Estejam descansadas que não conto a ninguém


Sentados ontem na relva ao meu lado, no Jardim da Estrela, um grupo de jovens na casa dos seus vinte e tantos anos discorria a sua sapiência acerca da infidelidade, 100% convicto naquilo que dizia, que tinha lido não sei quem, uma autora qualquer, que defendia que os homens traíam pelo sentido de aventura, ao passo que as mulheres o fariam para terem a atenção e carinho de alguém. E eu só tive vontade de rir, só de pensar no quão conveniente é para as mulheres que os homens continuem a achar que elas só traem por necessidades afectivas, quando na realidade o devem fazer pelas mesmíssimas razões que eles que, na verdade, é apenas pelo sexo.